ABRIL


A libertação de um povo
numa canção do "Adeus"
num cravo vermelho
em amor pelos seus.

A força de um povo
massacrado no seu viver
é um fruto muito rijo
que nasce no ventre da mulher.

Abril dia longo
em que capitães não dormiram
foi idealizado um sonho
que outros antes não viram.



Sem um tiro disparado
na revolução a preceito
sem sangue derramado
CRAVOS VERMELHOS AO PEITO!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O MUNDO DE PERNAS PARA O AR

Deixa ficar assim…

DESEJOS E DEMÓNIOS