Quando foi a ultima vez que limpaste o coração?

Calço luvas, coloco bata e máscara e munido de bisturi, percorro canais.

De auricula para ventriculo, de veia cava para cá e para lá, de artérias gordurosas, alojamos aparelhagem bem no meio do coração.

Encontro pó, vários quartos e salas com teias de aranha.

Paninho na mão, "spray" limpa nódoas e cera para o soalho de quartos desabitados.

Alguém escorrega ? - Não

- Ninguém habita por lá.

Peguei no álcool e vaporizei as paredes.

- Ardeu ?

- Claro que sim

Mas era esse o objectivo. Deixar arder, doer.

Quando foi a ultima vez que limpaste o coração ?

O aspirador entrou em cena e a soda caustica retirou o mais entranhado.

Por fim e antes de passar a linha e agulha para fechar o remendo executado com mestria em definitivo, deixei que as janelas arejassem...

Do pouco que restou, peguei numa pá e enterrei-o bem no fundo do coração, quase tocando na alma.

Jamais me habitarás.

Viverás aí para sempre!

Comentários

Ana disse…
Consegues assim limpar o coração?
Ele deveria ter integrado um dispositovo qualquer de self cleaning, porque há cantinhos onde não chegamos nunca. Eu, pelo menos, nao consigo.
Gostei muito do texto, beijos.
Anónimo disse…
... Que "pena" ter que "limpar" o coração...
...Eu não faço assim... Do mesmo modo que penteio o meu cabelo todos os dias, também diáriamente "penteio" o meu coração... Experimente fazer o mesmo. Vai ver...talvez se surpreenda... :-)

Mensagens populares deste blogue

O MUNDO DE PERNAS PARA O AR

Deixa ficar assim…

DESEJOS E DEMÓNIOS