05 abril, 2007

















As minhas ideias vagueiam, saltitando por aí.

De vez em quando qual fruto maduro alguma coisa cai e desato a escrever antes que apodreça.
O imenso desejo de escrita leva-me a ter que domar as ideias, refreando alguns ímpetos, tornando-as mais suaves e menos revoltas, mais resistentes.


Pelas segundas-feiras então, resisto a quase tudo. Resisto ao despertador que toca desesperadamente na esperança que lhe dê ouvidos, tendo já experimentado os de música, de noticiários, de apito, suaves, fortes, só faltando os gritos das vendedeiras do bolhão em dia de imensa freguesia.
Resisto à primeira conversa da manhã quando desperto, ao pequeno almoço, e resisto ao trabalho que me espera paciente em cima da secretária com aquele bom-dia-que-até-apetece.

À Segunda, como provavelmente muitos de vós, passo o dia num estado secundário, funcionando melhor depois do café, mas sou normalmente como os carros antigos que funcionavam a manivela, primeiro que pegue...

Sou uma sombra de mim próprio, bem longe de tudo… até que chegue a ditosa Terça-Feira.
Dizem alguns colegas que estas pequenas rugas que me povoam são do semblante entre o carregado e o aluado.


O Sr. Manuel, gerente do café que frequento, costuma sorrir, cúmplice, quando me vê chegar pela manhã: -"É o costume Senhor?" E eu -"sim, muito obrigado, Sr. Manuel", retribuindo o sorriso, mas com um ar alheado que não engana ninguém... Sabe que, neste dia, vou tomar o pequeno almoço com o jornal á frente, não comentando sequer as venturas ou desventuras desportivas, só voltando a dizer algo, quando me despedir com um novo "Obrigado" e um "Até logo!"... Contrariamente ao resto da semana, em que costumo ficar ao balcão a perder-me em conversas com ele, pois é uma pessoa extremamente comunicativa, interessada e vivida…
Aí, sai de tudo, desde futebol à política, das (des) medidas do governo à crise do pastel de nata.

Mas pior que uma Segunda-Feira "tout court", é uma Segunda-Feira chuvosa e fria!!!
Nestes dias apetecia-me emigrar, mas acho que todos conhecem de cor esta canção...
Não, à Segunda, nada a fazer... Encontro-me ausente para parte incerta... Se calhar, não tão incerta quanto isso... Mas é certamente um lugar aconchegado, quentinho, tranquilo, dois braços envolvendo-me simplesmente os ombros e uma voz a sussurrar-me ao ouvido -"Deixa estar, amanhã, já passou”….

Meu velho Grilinho Falante que me vais aturando tontices e trazes contigo maturidade, seriedade e voz de bolinho de chocolate que tanto aprecio. ..

3 comentários:

Doc disse...

Assusta-me a forma como o tempo passa, escapasse-nos entre os dedos!
Mas ë bom saber que hå coisas que näo mudam, pequenos prazeres que fazem do nosso dia melhor, das nossas semanas parecidas num todo mas diferentes...
Aquele mergulho na ägua, aquele aconchedo do sol... e aquele bolo de chocolate!
Näo gosto das segundas feiras, mas ainda bem que acontecem!

Pontos_nos_psis disse...

Feliz Páscoa. Muitas amendoas doces. Um beijinho.

tcl disse...

Obrigada Pedro, pelos votos de boa Páscoa. Muitas amêndoas para ti também e beijos. :-)