18 agosto, 2007







Preferia não te ver… sentindo tão perfeita.

Sonhar-te com o cabelo desgrenhado e sujo, amarrado em rabo-de-cavalo, lábios sem baton, esquecida do creme após o banho e desenfreada como se tivesses as minhas unhas cravadas em ti.

Sentir a tua boca em mim como um doce irresistível, que se prova em textura, revisitando memórias, encontrando a solução de açúcar a mais, ou mesmo no ponto, aferindo da medida exacta de um ingrediente novo.
Contornas-te em mim como um puzzle de peças variadas como variados são os nossos gestos numa onda sem fim.
E inventas jeitos e trejeitos para escapares por dentro de mim e perguntares (como se eu soubesse) o que está por trás das estrelas e o que vai para lá da linha do horizonte.

Distraidamente e enfeitiçado percorro olhares indiscretos por dentro de ti e arranco paixão e desejo e ternura e amizade em aromas equilibrados de giestas.
Vemo-nos em culpas e sentimentos e rodopiamos em dós-menores por ré-maior, embebidos em desejo.
Tomo-te então, em copo de cristal com goladas de sílabas em palavras acentuadas, partindo de novo no fim, num regresso em espiral na proporção do limbo em que nos movemos, soletrando beijos por acabar em parágrafos completos sem ponto final.

Questiono a minha sanidade mental ao ver-te de olhar penetrante, afiado como gumes apontados em doses de rícino e que desfazem em pó quem duvida da paixão.
Enxotas parágrafos recheados de adjectivos indefinidos, soltando os meus neurónios na direcção do sol, queimando meninges, como se coisa hedionda se tratasse.

Palavras de um texto que me percorre as entranhas e mexe uma bílis sem enjoo.
Palavras de quimera em doces de mil-folhas, palavras abstractas que nada te dizem.
Que se instale então um saco de soro de ti na veia cava superior, para que entres na minha corrente sanguínea.
Aí chegados ficarás comigo para sempre, e com os teus jeitos e trejeitos perguntarás o que fica por trás das estrelas e o que vai para lá da linha do horizonte.

7 comentários:

olhos grandes disse...

que belos que são
os ecos duma paixão...
quantas vezes perdida
pelas voltas da vida...

Anónimo disse...

Lindo, meu amigo........
lindo......
Sempre o disse...tens o dom único de fazer música com palavras......

tcl disse...

É.

O Jorge Palma de vez em quando sai-se com coisas boas, assim como esta.

lamia disse...

A morfologia das tuas palavras vai ao encontro da anatomia do teu desejo. É palpitante.

nuno35670 disse...

Grande texto. E gosto muito da forma com escreves. Parabens.

Ja agora aproveito para dizer o endereço do meu blog:

http://segredosdestado.blogspot.com/

syl disse...

De todas a vezes que entro e espreito delicio-me. Quase sempre as minhas palavras não se chegam a formolar por desnecessárias, comparadas com as tuas e tantas outras. Mas tinha que deixar aqui uma palavra. Sonhei com o Jorge na véspera de tu colocares aqui este post. Que coisa, hein?

Anónimo disse...

Tão curiosa fiquei para saber o que vai para além da linha do horizonte.

É lindo.

csm