18 setembro, 2007







Sei percorrer caminhos dificeis até encontrar flores frescas para te dar.

Sei correr em sentido contrário ao sentido do tempo que tem um compasso muito seu, diferente do meu, diferente do que dele pensamos.

Eu não tenho o meu passo na medida certa do teu, nem o tempo a medida certa do nosso.
Sei quando o vento sopra em sentido contrário ao tempo, e eu corro contra o tempo a favor do vento.

Sei percorrer caminhos dificeis até encontrar conchas no mar e poemas para dedicar de versos preparados em noites mal dormidas.

Sei correr em passos ritmados com coração solto e selvagem, no qual cada curva é uma incerteza, cada onda sensação, cada caminho a intenção de um lugar.

Sei que a ausência é um mar que não devolve as ondas e uma alga escura que traz sal no olhar.

Sei percorrer estradas que me levam a algum lugar quando venho de lugar nenhum.

E sei correr num tempo nosso entre nuvens de mar e ondas de sol por caminhos fadados a um encontro.

Percorro e corro e parto-me em mil pedaços de mim por outros tantos de ti, entre quatro colunas por entre a saudade que me espera.

Flores frescas para ti !

Sem comentários: