17 março, 2008

BEIJOS PELA MANHÃ.






Lá longe, muito longe, nos caminhos de alguém,
Um barco navega a sul,
Num rumo de amarras partidas feito em lágrimas de sal.

Miragens e gritos ancestrais de náufragos com promessas desfeitas.
Voragens de tempo que me cega as manhãs submersas em tons pastel

Desperto do sonho com cheiro a maçã
Que me entra janela dentro como o sol na madrugada
Enquanto me decifro entre sonhos e nuvens de caminho esponjoso
Que moldam o meu corpo ao prazer dos teus gestos
Como quadros que pinto com meus dedos feitos de pincel

Faço esboços de mim em partituras sem ritmo nem som,
E esboço a preto e branco palavras, frases, ideogramas
Como se a ausência em mim fosse um espaço natural.

Sonho lábios ardentes de mel em tempos agrestes de sonhos que não vislumbro
E folheio livros de páginas amarelecidas pelo tempo,
com pétalas de flores de ilusões passageiras e um pó de lembranças que se espalha pelo ar na direcção do infinito.

Exponho-te a nudez da minha alma e os fios ténues do coração que esboça sorrisos quando te vê.
E adormeço nos braços da noite, com a intensidade das esperas,
a ternura das palavras que me sussurras,
o doce arfar de morangos num beijo com frescura de manhã.

Beijo assim, vale uma vida inteira de esperas
nas esquinas do tempo perdido.

4 comentários:

joana disse...

Muito bonito! Parabéns!
Gostei especialmente dos últimos 2 versos. :)

Anónimo disse...

...coming back home...
Let me go home....
...So much pain....life is unfair...

MariaV disse...

Lindíssimo!
Bjs

ariana luna disse...

Música e texto belíssimos.