15 agosto, 2008

Vai onde o meu beijo te leva...!











Adorava saber pintar as sete partidas da vida e as catorze despedidas em 24 esperas infinitas.

Adorava saber das telas, das cores, das molduras exactas do teu corpo e do teu infinito sorriso.

Sei das batalhas que ganho e das guerras em que me perco de todo.

Estou inebriado nos teus dias sem prazo de validade, sem começo nem fim, até um dia... quem sabe.

Estou inquieto... para te ver doce e sublime, repleta, composta e unica, fotografada envolta em mim, com feixes luminosos em arco-íris dentro de ti.

Já experimentei novas telas de cores e troquei-me entre as 9 e as 14,
perdendo-me indefinidamente na proporção do caos em que me deixas

Sou labareda no deserto e tu um oásis deslumbrante com um interminável pôr-do-sol.

Sei também do tempo que não temos, mas peço-te que vás até onde sintas que o meu beijo te leva.

Desfribilha a alma até encontrar um sentido, uma espécie de obscura graça... talvez me encontres, quem sabe meio perdido ou por inteiro...

Talvez demore o tempo da procura no encontro que se tornará efémero, mas lá estarei, meio por meio, pouco num todo, mas estou lá…...

...onde o meu beijo te leva.

2 comentários:

antonia disse...

Estou enebriado dos teus dias sem prazo de validade...
lindo... muito lindo!
bjs

Paula disse...

A vida sem beijos, sem afectos, sem emoções, não é vida...

Continua a ter uma forma de escrever, de criar e expressar sentimentos, muito própria... e com uma força humana admirável!

Quando a leitura cria vício, é sinal que se entranhou em nós e faz parte da nossa essência... é o caso!