03 julho, 2009

Por dentro de mim...!




Entraste suavemente como doce melodia e adornaste a minha alma com fragrância de framboesa.

Tens ritmos desenfreados em ti, que tentas libertar na minha direcção.
Refreias o passo, hesitas num “tem-te não caias” incómodo.

Queres-me de qualquer modo e jeito, sem pecado, constante e tenebroso, eficaz e permanente.
Percorres-me de cima a baixo, de fio a pavio, numa procura intensa e inquietante.

Saltas entre espaços e defines-me por entre órgãos que percorres como esquiador em gelo deslizante.
Sentes um marulhar nas ondas do meu corpo e reténs o ímpeto. Há medida que te mexes, o coração galopa ritmos vertiginosos

Basta-te um toque, lábios inquietos, sangue que circula como lava ardente

Ecos que se arrastam por dentro de mim, que procuram um espaço entre o beijo e a partida, no momento em que usas o meu interior como quem aluga a sala próxima.

Insistes em aparecer por entre letras numa dança envolvente e sinto-te por dentro de mim nos silêncios que faço quando o vento não está de maré.

Sabes-me bem, mexeriqueira, e o conforto de te sentir ali, ora deitada ora sentada num cruzar de pernas voluptuoso

E sorvo-te feitiços de algas marinhas, macumbas de rapapé, amuletos e milongas, talismã de águas turvas nas entranhas que vês.

Porque me queres ver e queres sentir, porque desejas mas afastas névoas que te ensombram e tiram o brilho do olhar mesmo quando coras.

Um peito ardente, um misterioso “malmequer” pelo “bem-me-quer”.

Atravessas o meu interior como atravessas a vida, intensa, escrevendo um diário de bordo.

Um beijo e uma partida.

Encosto o queixo ao peito e concentro-me no teu rodopiar em mim, procurando-te como a Águia a presa.

Sopro-te de mansinho e assobio-te com junção de lábios e língua, alimentando a candeia do amor antes que o fio se apague e nos afaste dos caminhos da luz.

Um beijo e uma partida

... por dentro de mim.

4 comentários:

Cocas disse...

Este texto é uma solução concentrada de sentimento...texto lindíssimo que apetece ler, reler e voltar ao início para ler uma outra vez!
Tu tens um talento ENORME para escrever, para conjugar as palavras, reinventando-lhes sentidos, simultaneamente doces e esquivos.
Uma conjugação com a música que resultou em pleno. Sabe bem ler o texto ao som suave do "Momento".

Parabéns e um beijo

Cocas

Lídia Borges disse...

É o movimento!
O movimento que imprimes às palavras que as faz dançar em frente dos nossos olhos como se tivessem vontade própria.


Um beijo

Delirius disse...

Continuo sem palavras para comentar esta fabulosa carta de amor, de uma intensidade tal que dispara dentro do peito da gente!
Gostei de ouvir o Pedro, aqui :)
Está imenso, este texto!
Beijo.

lagrima disse...

Este..., este é o meu preferido:-
Beijo