03 junho, 2010

AOS BOCADOS



Contigo tem de ser aos bocados.

Umas vezes mais próximo, outras mais distante, mas sempre aos bocados.

Bocados pequenos de cada vez, para que me sintas.

O traço incerto dos teus dedos a tua boca carnívora que me atrai para o seu interior, e a tua sombra chinesa que dança entre cadeiras, poisa nos quadros e estatela-se na parede branca.

A rua onde moras, tal como tu. Outras ruas e outras gentes em ti, como uma geometria de enganos.

Rebolo nas tessituras mornas dos lençóis, almofada aconchegada e o corpo pousado na memória que tenho de ti.

Aos bocados.

Surges-me já vagamente das cordilheiras dos tempos e memórias irreflectidas e no entanto ainda o teu cheiro a alfazema.

Contigo, tem de ser aos bocados.

Bocados fáceis de engolir, mastigar, saborear, porque tu moves-te entre o tenso e o quebradiço, o geral e a textura, o toque e o arrebatamento, o desgosto e a bulimia.

E o meu corpo em câmara lenta, formato digital e tu como Deusa, um eco, pontas soltas, arritmias. Os teus dedos que se enrolam nos meus, toques subtis de pernas e um desejo intenso como se um Tsunami me invadisse praia e a tua mão em concha.

Leio-te aos bocados enquanto mágicos risquinhos vêem desenhar as minhas palavras, como luz em vitral que refracta um bailado colorido.

E assim vou-te transpirando, soltando dos poros, primeiro o sorriso, depois um braço e uma perna, escoando-te apenas, aos bocados.

E tudo aos bocados. Abraços perdidos em alquimias, noites pacificadas num enrosco, a incisão na pele da tua letra miudinha, e a minha vida.

Os teus becos sem saída, sinais sem sentido, procuras incessantes, e os silêncios que também são meus, semi-breves ou quase nada.

Contigo, tem de ser aos bocados.

3 comentários:

Anónimo disse...

Imagine-se o que seria se fosse por inteiro...
Cada vez estou mais convicta que as melhores coisas que nos acontecem na vida são de graça...é só uma questão de dar o merecido valor a esses "bocados"!
Um texto maravilhoso!

Lídia Borges disse...

Fragmentos que se traduzem num "sabor a pouco" consciente, inquietante... Bocados a pedirem unidade.

Um beijo meu

Anónimo disse...

Agrada-me o traço incerto...o cheiro a alfaema...o toque e o arrebatamento...o sorriso...sinais sem sentido...quase nada...tudo...mas...aos bocados... "Texto apaixonante"