19 agosto, 2010

O teu feitiço



O teu segredo… a meiguice sem medida, o destempero em que te soltas, jorro de afectos sem espera.
Alquimia na tua pele que entendo como obra do “Demo” tal a inquietação que provoca. Tanto me tira o ar como me solta o riso.

O teu feitiço
Esse arrastar de mãos, suave e ardente como conhaque velho.
Palavras quebradiças, resignadas à sorte que lhes caberá.

Esgueiras-te entre brechas como refúgio
Afasto-me de mim tantas vezes e observo-me ao longe como Rembrandt os quadros inacabados.

As assistolias, um suporte de vida, apito agudo constante, linha ténue marcando a partida, o sopro final e eis que tropeço no teu olhar e desperto para a vida num trago.

Colo-te palavra por palavra, gesto por gesto, pedaços de corpo em corpo de mulher, o teu feitiço.

Não, não és tu que me baralhas, sou eu que me confundo nesta geometria perfeita de enganos, naufrágio de constelações inteiras.

O teu segredo em ritmos pachorrentos, circuitos entre vielas antigas, a nossa casa de madeira em Hoshinoya /Quioto, candeeiros de bambu e biombos de papel de arroz que se espreguiçam na nossa direcção.
Dias que despojo do corpo estropiado por toques subtis. Os minutos que não temos e o meu cansaço nas tuas costas, confinados a um espaço que se deseja intemporal.

O paradoxo de nos arrastarmos na sombra, embalados por nocturnos silêncios, parágrafos completos, baixos-relevos, heráldica amorosa e delimitas os meus lábios como partitura para orquestra sinfónica.

O teu feitiço
E eu, sem reacção, resposta ou oposição, olhar tosco, palavra siderada, inquietude orgânica, abano de esqueleto, coisa feia, coisa má, coisa minha e coisa tua.

Sou eu afinal… o teu feitiço.

3 comentários:

Lídia Borges disse...

Olá Pedro,
Sempre surpreendente! Como se fossem as palavras em estado de perfeita embriagues e não o leitor obrigado a embriagar-se com elas.

Beijo

OutrosEncantos disse...

Sempre que escreves, és poema!
Até quando estás zangado.
Hoje estás doce! Levo-o a passear comigo, relê-lo, digeri-lo no cheiro do rio.
Que posso dizer?! fantastico?! lindissimo?! surpreendente?! fabuloso?!... são palavras gastas!... talvez... Wonderfull, as always!...

Anónimo disse...

"O teu feitiço" é pura Magia ao lê-la...! - Afinal, talvez devêssemos todos desistir de tentar retribuir às pessoas que sustentam as nossas vidas neste mundo. Afinal, talvez fosse mais sensato rendermo-nos diante do alcance miraculoso da generosidade humana e limitarmo-nos a dizer incessantemente obrigado, para sempre e sinceramente, enquanto tivermos voz.- Comer, Orar e Amar...que tem uma casinha lindissíma de madeira com candeeiros de bambu e biombos de papel de arroz! Obrigada!