01 março, 2011

Hoje o silêncio !



Apetece-me só o silêncio.

As janelas embaciadas, água a escorrer no algeroz, a chuva na vidraça, relâmpagos na clarabóia.
Quadros que me olham como se conhecessem, fotos antigas sem cor, a minha preguiça enrolada, as rugas de mansinho, ondas no casco do barco no Tejo.

O Inverno melancólico modifica cores, mantendo o ar doce de ti.
Leio-te em contrapontos jocosos, arremedos irónicos, afectos sem terminação, mágoas entre parêntesis e a vida em reticências.

Apetece-me apenas silêncio.
Bocejos de fome que passam na rua, misérias que atravessam as malhas do cansaço e a indiferença nauseabunda de angústia dorida.

Mantemo-nos no lado oposto ao traço contínuo que segrega códigos sociais, escancaramos desgraças a golpes de sabre, baionetas afiadas e rajadas de discursos sem solução.

Já não sonho
Olho-te ao longe, esperança retardada, sombra de um barco sem quilha e a humidade que me arqueia as costas.

Vejo-te neste silêncio que inquieta, de gente em ritmos diferentes e os teus braços abertos na minha direcção.

Tenho dias de areias e conchas, sem luz no horizonte, e gaivotas que debicam os restos, obedecendo ao gargalhar do Mundo.

Reparte-se o tempo em ritmos solares num diálogo de significados ocultos e a água que agita o algeroz, as bátegas na proa a minha janela iluminada pela chuva, desenhando bailarinas em pontas, trapezistas sem arame e as primeiras andorinhas nos beirais.

Um rasgo de calor, o teu olhar e milhares de conversas asas fora.

Hoje, só quero o silêncio!

7 comentários:

Daniel Hiver disse...

As vezes o melhor quarto para tentar adormecer as agitações internas é o silêncio e solidão forçada... Em pouco temos voltamos pmelhores para dentro de nós mesmos!

Lídia Borges disse...

Pedro,apesar do silêncio e do "já não sonho" este é mais um excelente poema, poema sim, e nem parece querer sê-lo.

Um beijo

Maria disse...

"Na musica o próprio silêncio tem ritmo"

Na escrita,"Hoje o silêncio!" tem magia.
Bjinho

ana disse...

Embora te apeteça o silêncio, as tuas palavras falam por ti!
E falam com o mesmo encanto que nos dias em que te apetece sonhar.
Voltarás a sonhar, mesmo que nos teus silêncios...
E os meus braços continuarão abertos na direcção deste Blog. Escreves tão bem que é sempre um prazer ler-te.
Bjs

anniewhitness disse...

Vertiginosa a subtileza do teu quadro
pintado sem tela, pincel, aguarela e
tão repleto de cor, cheiro, emoção, sentimentos....silenciosos.

Perfeito!

luz efemera disse...

Há dias em que também só quero o silêncio!

E é tão aprazível termos somente a nossa companhia.
Quanto ao sonho...esse nunca poderá ser colocado de lado!
Seria morrer por dentro!
E não queremos isso pois não!?...

Abraço silencioso

Anónimo disse...

"Apetece-me só o silêncio"

Silêncio este que nos leva à nossa essência, ao nosso Eu, onde não conseguimos discernir o certo do errado. Apenas o momento. E este agora é de silêncio! Chiiiiuuuu...

É sempre um prazer passar por aqui.