25 outubro, 2011

SEGREDOS DOS DEUSES



De dia abraço o Tejo… de noite a madrugada.
Da minha janela a cidade e uma luz esvoaçante.

Do nosso quarto vês a Lua, um rio, espelho de água e uma traineira.

Aí navegam os meus silêncios, enquanto corpos se enlaçam nos beirais, nas pontes à descoberta e nas ameias do castelo.
Tens Lisboa nos lábios, fado inquieto na língua.

Nuvens bailam a céu aberto, pinturas a carvão em tela difusa.
Lisboa de sombra e luz. Partir e ficar. Máscaras caídas após o bater das asas.

Senhoritas como contos de polichinelo, damas de cetim e olhar amendoado.
Lágrimas que apertas no peito. Caderno de partitura com música escondida.

Do jardim abraço o dia, na praia o pôr-do-sol.
Olhos de Anjo em segredos de pássaro.
Saudades com gente dentro. Carótida atiçada. Eufemismos na tua boca.

Deuses em rastos de gente, dentes que sobejam num sorriso.
Olhos na névoa que se dissipa em bando.
Feridas afagadas para que não sangrem, este texto que sai sofrido e uma bátega de chuva no parapeito, esventrando a noite adormecida.

É um tempo de deuses e anjos.
Sonâmbulos ancestrais, o meu doce refeito na tua boca e o teu arranhar ao de leve nas franjas do estuário.

Enrosca-te sem inquietação, prende-lhe post-it´s na roupa e faz-te figurante e narrador.
Aconchega-o no peito, acaricia-lhe o cabelo ao de leve, deixa o teu coração bater no espaço quente do dele.

Anjos de asas coloridas… a terceira cor do arco-íris.

De dia abraço o Tejo, a ponte em sobressalto
De noite a Lua dançando com nuvens a céu aberto, enquanto me fazes adormecer nos teus braços.

Serão estes os segredos dos deuses ?

4 comentários:

Eloah disse...

A beleza nos leva a lugares outros, cujo aconchego nos faz poetas e reparte o encanto com os nossos silêncios.Quem sabe este é o segredo dos Deuses.
Amei teu poema e teu canto de amor ao Tejo e a linda Lisboa.
Fizeste-me voar e compartilhar contigo este momento.
Bjs no coração Eloah

Lídia Borges disse...

São como flaches fotográficos as tuas palavras, uma sequência de imagens que dançam perante os nossos olhos atentos... Olhos de desvendar segredos dos deuses e dos homens.
É uma escrita cujas metáforas servem o imaginário de qualquer leitor pelo muito que dizem e por outro tanto que sugerem.

Um beijo

L.B.

Princesa do Mar disse...

Cheguei aqui...aportei e decididamente deixei-me ficar a saborear e a conversar com estas palavras que tanto me disseram...
Voltarei outras vezes :-)

Beijos do meu mar*

Anónimo disse...

Depois de ler este poema maravilhoso, fechei os olhos e imaginei:

"Nuvens bailam a céu aberto, pinturas a carvão em tela difusa";

Curioso que na pintura estava o teu retrato, nítido e com uma réstia de cor do arco-íris - "Segredo dos Deuses"!

Continua a encantar-nos com esta escrita maravilhosa. Parabéns