Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2012

ACORRENTAR

Imagem
Não te quero acorrentar a alma, nem fazer contratos dos teus beijos.
Nem ser a fimbria do teu vestido, muito menos o chão que tu pisas.

Por vezes sou impaciente. Outras paciente de mais.
Oiço latidos dos cães. O ronronar dos gatos no namoro, e o tempo que passa devagar...

Conto-te alguns segredos mais íntimos e bebemos copos ao cair da noite, embriagando ideias, saltando de cá para lá, como "ícaro" de ocasião.

Entendo os teus dilemas, fugas desenfreadas, esgares de loucura, risos sem jeito, saltos sem paraquedas e um olhar de soslaio que te caracteriza... traquina.

Finges que não me vês e assumes o embaraço na fronteira ténue de um abraço.

E temos entre nós e por breves segundos, anos de conhecimento, ventos e marés, tempestades e ancoradouros de desgraças, ventos embrulhados em roupagem fria, desacatos de memória, sorrisos nos lábios e uma ventania no teu olhar.

Tenho dias tristes. Muito tristes.
Dias em que perco os pontos cardeais. Dias sem noção de tempo.…