Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2016

Deixa ficar assim…

Imagem
Dormes menos. Vês passar o tempo, quieto, sobranceiro, meticuloso.
Cartas ao pai natal. Um comboio elétrico para aquele, uma pista de carros para outro, a camisola de lã, o cachecol, o perfume. Uma interminável lista.
 E de repente no mesmo acordar todos na direção da missa do galo, três pais-nossos, duas ave-marias, a Ceia de Natal.
E o espelho na cómoda em frente, que te reflete. O que irá refletir daqui por uns tempos?
 Neste instante tudo é serenidade, O mundo parece ter parado, Nem um movimento. Contudo, se abrir o cortinado, reflexos no vidro do quarto.
 Até os murmúrios regressam, acompanhados pela minha avó espanhola. - “Hola como estas “ – e uma chávena de chá segura por dois dedos e o mindinho esticado.
O Avô impaciente, deslocava-se como se patinasse.
As “tias” que acompanham a avó, recostam-se em poltronas com crochet´s de um lado e a boca revirada (para assuntos da vida de cada um), para o outro.
Isso e as dentaduras que abanam em sons de castanholas num “salero” de Vigo…

A MEMÓRIA

Imagem
A memória aparece intermitente nos dias que correm solarengos.
A memória dos mortos é mais viva do que quando estava com eles.
“Amanhã telefono-te. Sim, já gravei o número. Não esqueças que temos de almoçar… este ano juntamo-nos todos antes do natal…”
As nossas conversas, encontros e reencontros ficam para depois. Nunca temos tempo, esquecemos rápido, e no entanto o tempo está aí.
Um dia temos tempo.
Sorrisos em câmara lenta, comboio no apeadeiro das sete. As figuras, as vossas e as minhas, o passado no presente. As palavras.
Aos poucos e poucos vão aparecendo as primeiras ilhas. Ponto a ponto. Perfil a perfil. Pequenos e imprecisos muros, delimitando jardins. Viramos, contrapomos edifícios, suspirando pelas imagens que se apresentam majestosas.
Uma longa avenida, dois a três candeeiros altos e largos, entre-cortados por outros pequenos e escondidos.
Igrejas e uma torre. Um monumento, mais uma capela e uma nave central cobrindo com feixes de luz restos de pintura nas paredes.
Gente que…