27 maio, 2008

NO INTERIOR DO MEU INTERIOR












Gosto de te ter aqui por dentro
Remexendo pelas veias, tocando na pele e entoando acordes por mim.

Gosto quando me procuras pelo cheiro, me encontras pelo cheiro
e me queres pelo cheiro.

Gosto quando sinto que te sinto

Gosto quando o teu tempo tem o meu tempo, o teu sol os meus raios a tua
chuva as minhas gotas, e a tua nuvem o meu cinzento.

Gosto quando tens segundos nas minhas horas e tardes nas minhas noites.

Gosto do teu vagar na minha pressa a minha escova no teu cabelo e o meu gel no teu corpo.

Gosto do cheiro do teu perfume na curva do meu pescoço e do brilho do teu olhar no branco dos meus dentes.

Gosto da eternidade em cada sorriso que me lanças e da peça que procuro no puzzle que é teu

Gosto quando semeias palavras e nascem frases inebriantes

Gosto quando me procuras porque me queres e me queres porque me procuras

Gosto de te ter aqui por dentro, entre canais e conjugações,
e do amor que imagino na rapidez do teu olhar.

5 comentários:

Paula disse...

Uma apologia sublime à partilha de vida entre seres que se amam.
Como sempre, palavras magníficas!

ana v. disse...

Gostei muito, Pedro.
Um beijo

T!na disse...

Desculpa invadir o teu espaço, mas não pude deixar de comentar. simplesmente lindo...
palavras que se sentem na pele...
parabens

Anónimo disse...

Simplesmente espectacular!
Não hà palavras para descrever....palavras que se sentem e que nos fazem sentir uma sensação estranha no corpo....
Lindo....continua...Pedro

Anónimo disse...

O amor - tema inesgotável - e descrito sempre de forma muito própria com muito glamour.
Parabéns.

UM BARQUINHO DE PAPEL

UM BARQUINHO DE PAPEL Falavas sobre onde se adivinham os dias, as invenções de luares de azul, o prazer de pisar a terra, gente em c...